Pesquisar neste blogue

A carregar...

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

António Ole. Luanda, Los Angeles, Lisboa

António Ole. Luanda, Los Angeles, Lisboa

António Ole
«Sem Título (I)». Luanda, 1998. Fotografia montada em alumínio. 90 × 120 cm. Coleção do artista. Fotografia: António Ole
Exposição retrospetiva da obra de António Ole, uma figura tutelar de toda uma geração de artistas contemporâneos angolanos. Com uma carreira internacional, Ole desenvolveu uma obra que vai da escultura à instalação, da pintura e colagem ao desenho, da fotografia ao filme, em diálogo permanente com a cidade, e antes de mais a cidade de Luanda, com a sua arquitetura e os seus habitantes.
A filmografia de António Ole, uma produção pouco conhecida iniciada no período pós-1974 (pós-independência de Angola como colónia portuguesa) e que se prolongou nas décadas de 1980 e 1990, é uma das apostas fortes da exposição.
Luanda, Los Angeles, Lisboa estabelece uma geografia vivencial, percorrendo ou criando pontes entre as cidades determinantes no percurso artístico de António Ole. O artista nasceu em Luanda (Angola) em 1951, onde vive e trabalha atualmente. Com Formação em Cinema no American Film Institute de Los Angeles (1975) e em Cultura Afro-Americana na Universidade da Califórnia – Center for Advance Film Studies  (1981-1985), António Ole realizou a sua primeira exposição internacional no Museum of African American Art de Los Angeles, iniciando uma reflexão sobre a escravatura e o colonialismo.
A exposição estabelece um forte diálogo com o espaço da galeria, cruzando a instalação, o filme e a pintura através da ideia de trocas e da ideia de contentor.
Com exposições em várias instituições internacionais, António Ole participou em 2013 na 55ª Bienal de Veneza, onde volta a estar presente em 2015, no Pavilhão de Angola, lado a lado com outros jovens artistas angolanos. Recebeu diversos prémios em Angola, Portugal e Cuba. A sua obra encontra-se presente em inúmeras coleções públicas em Portugal, Angola, África do Sul, Estados Unidos da América, Alemanha e Cuba.
Curadoria: Isabel Carlos e Rita Fabiana 
Uma viagem com António Ole, Coleção Moderna, agosto de 2016 

Eventos relacionados: 

À conversa com as curadoras Rita Fabiana e Isabel Carlos e com o artista António Ole

Sábado, 17 de setembro, às 16h00 

Visitas orientadas

Quartas-feiras e sábados, 24 de setembro; 19 e 22 de outubro; 3 de dezembro; 7 de janeiro, às 15h00 

Visitas para desenhar

Domingos, 20 de novembro e 11 de dezembro, às 11h00


Pensar e Falar Angola

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Lançamento da obra "Autores e Escritores de Angola (1642-2015)

Lançamento da obra "Autores e Escritores de Angola (1642-2015)"
Lançamento da obra "Autores e Escritores de Angola (1642-2015)”

Qui, 22/09/2016 - 19:00

O livro “Autores e Escritores de Angola (1642-2015)” da autoria de Tomás Lima Coelho, vai ser lançado no dia 22 de setembro, pelas 19 horas, em simultâneo em Luanda, Angola, e Lisboa, Portugal.

Em Luanda, a obra será apresentada no Hotel Convenções de Talatona (Rua Luanda Sul) por Armindo Laureano, Carmo Neto, Amélia da Lomba, Lopito Feijó e Dário Melo. Enquanto que na capital portuguesa vai decorrer na sede da CPLP (Palácio Conde de Penafiel - Rua de São Mamede (ao Caldas), n.º 21) com os convidados Eleutéria Ornelas, Adelino Torres, que escreveu o prefácio, Miguel Kiassekoka, Miguel Anacoreta Correia, bem como o autor, Tomás Lima Coelho.

“Do ponto de vista metodológico, muito foi feito para facilitar a consulta da obra dando uma informação biográfica e bibliográfica mínima sobre cada autor e a respetiva região de Angola donde é oriundo. A surpreendente quantidade de autores selecionados, presumo que não prevista no início da investigação, não permitiu talvez desenvolver muito mais a apresentação de cada um sem que o ‘dicionário’ excedesse dimensões razoáveis”, escreve Adelino Torres no prefácio. 







“Autores e Escritores de Angola” apresentado no dia 22

Obra será lançada em Luanda e Lisboa em simultâneo, no Hotel Convenções Talatona e na sede da CPLP.
Por REDE ANGOLA.

O livro Autores e Escritores de Angola (1642-2015), de Tomás Lima Coelho, vai ser lançado no próximo dia 22 em simultâneo em Luanda e Lisboa.
Em Luanda, a obra será apresentada no Hotel Convenções de Talatona por Armindo Laureano, Carmo Neto, Amélia da Lomba, Lopito Feijó e Dário Melo. Enquanto que na capital portuguesa vai decorrer na sede da CPLP com os convidados Eleutéria Ornelas, Adelino Torres, que escreveu o prefácio, Miguel Kiassekoka, Miguel Anacoreta Correia, bem como o autor, Tomás Lima Coelho.
“Do ponto de vista metodológico, muito foi feito para facilitar a consulta da obra dando uma informação biográfica e bibliográfica mínima sobre cada autor e a respectiva região de Angola donde é oriundo. A surpreendente quantidade de autores seleccionados, presumo que não prevista no inicio da investigação, não permitiu talvez desenvolver muito mais a apresentação de cada um sem que o ‘dicionário’ excedesse dimensões razoáveis”, escreve Adelino Torres no prefácio.
DR“Seja como for, este livro é já de consulta indispensável na área da cultura e da literatura nacional. Alguns dos nomes poderão deixar apenas um rasto efémero na memória, mas a sua presença ajudará todavia a fixar fronteiras e etapas que contribuirão para a construção de uma mundividência que, a longo prazo, irá alicerçar e reforçar aquilo que se pode chamar a ‘cultura angolana’, diversificada e plural, cada vez mais rica no futuro”.
Tomás Lima Coelho nasceu em Moçâmedes a 5 de Outubro de 1952. Reside em Portugal desde 1975. Na última década tem-se dedicado à investigação da literatura angolana.
Editado pela Perfil Criativo, Autores e Escritores de Angola chega ao país através da Vivências Press.

Pensar e Falar Angola

terça-feira, 12 de julho de 2016

RESPOSTA A << CARTA ABERTA A UMA NACAO NEGRA BRASILEIRA FEMINISTA.>>

Pensar e Falar Angola

 RESPOSTA A << CARTA ABERTA A UMA NACAO NEGRA BRASILEIRA FEMINISTA.>>

<<O povo brasileiro tem de aprender a empregar melhor os termos da lingua portuguesa. O feminismo nao nasceu da necessidade social da imancipacao da mulher, mas sim da necessidade de lutar contra a misogenia do Homem Branco. A mulher Africana nao deve abracar nenhuma luta em conjunto com a mulher europeia pois o europeu é racista. Nao existe feminismo negro do mesmo geito que nao existe racismo negro.>>

-       “A mulher africana NAO DEVEM” disseram homens negros estupradores, abusadores e misóginos, tanto quanto homens brancos, amarelos e castanhos.

<<A mulher negra precisa abracar uma causa sua, unica. Isso chama-se "panafricanismo". Nao se pode usar feminismo para combater machismo instaurado na sociedade negra. Quem criou esse padrao de opressao foi o homem branco. Sao eles que decidem quem trabalha e quem nao deve trabalhar no seu sistema (racismo).>>

-       “Não pode usar o FEMINISMO para combater o machismo”, bom se existe machismo, o feminismo é necessário, afinal machismo MATA, ESFOLA, ESTUPRA, ABUSA E EXPLORA, mulheres e meninas NEGRAS todos os dias pela mão de HOMENS NEGROS.
-       Se o machismo foi ou não instaurado (sabemos que é mentira) é então papel do homem que sabe fazer um discurso como esse se mudar a si mesmo e deixar então de matar, esfolar, estuprar e abusar de meninas e mulheres NEGRAS E A AFRICANAS.

<<O machismo è doenca do Homem Branco e tem origem na misogenia que eles sempre tiveram contra as brancas suas femias. A opressao que as mulheres negras sofrem dos negros, é domestica e nao social, mas isso nao é resultado do machismo...o homem negro age desta forma pois é vitima da condicacao social criada pelo homem branco. Um negro bebado é um bebado, agora toda comunidade negra bebada e drogada nao é normal, esta sendo vitima do racismo criado pelo macho europeu.>>

-       Ser vítima do racismo não dá legitimidade nenhuma a ninguém de MATAR, ABUSAR, ESTUPRAR e ESFOLAR mulheres e meninas todos os dias e em impunidade.
-       A misoginia e machismo patriarcais são transversais a todas as sociedades do mundo.
-       Amassamento dos seios, mutilação genital, dote (alembamento), casamento de meninas com idosos (todo um conjunto de comportamentos misóginos e machistas) são parte da cultura africana anterior a colonização e até a invasão europeia ao continente, portanto isso é prova de que HOMENS NEGROS MATAM, ESTUPRAM, ESFOLAM, ABUSAM E ESFOLAM as meninas e mulheres negras e africanas só por elas serem mulheres.
-       Se você é bebado vá se tratar. Além de ser um problema domestico é colectivo social, pois bebados colocam em risco a segurança e bem estar alheio. Você bebe porque quer, é você que não sabe e tem preguiça de gerir as suas emoções e quando não tem força para lutar contra o sistema supremacista branco racista que te oprime ainda queres ter o direito de matar, estuprar, esfolar e abusar da menina e da mulher negra e africana e ficar impune usando o racismo como bode expiatório. Só que não cola.

<<Um macho negro que vive Numa sociedade racista e quem tem que viver e alimentar a Familia...acaba fustrado. >>

-       Macho branco, castanho, amarelo…vive numa sociedade com variados tipos de opressões e também são condicionados a ser provedores e também acabam frustrados. Assim como o macho negro também matam, estupram, esfolam e exploram meninas e mulheres das suas respectivas raças e das que tiverem acesso. São todos farinha do mesmo saco, bando de canalhas.
-       Homem preto és vítima do racismo e do geniocidio negro na América mas não és nenhum santo e és um machista, misogino e sexista igual aos outros, só  não tens o poder do homem branco, mas vocês são iguais.

<<A mulher negra deve perceber que o macho europeu esta em guerra contra o macho melanoide... é so olhar para o padrao de beleza que a branca criou (loira, magra)...padrao de beleza criado pelo macho europeu (musculado, que nao sente dor, medo, ou de mostre algum sentimento e de penis grande)... voces acham mesmo que os africanos discutiam quem tem o bilao maior? Isso é conversa de gente com crise de inferioridade. Ele precisa te rebaixar para se sentir "superior"...e todos sabem quem sao os inferiores.>>

-       A mulher negra deve porra nenhuma, muito menos a ti negro abusador, estuprador e ingrato em relação a mãe que te pariu e a mulher que cuida sozinha dos teus filhos seu miserável.
-       Os teus problemas com o macho branco resolves tu, mulheres negras não somos nem tuas camelas nem as tuas mulas de carga.
-       Estão a falar mal do padrão de beleza da branca mas são vocês homens negros que preterem as negras escuras e de cabelo crespo se elas não se “embranquecerem” o máximo possível alisando o cabelo e a tentarem imitar as mulheres brancas.
-       Além de preterirem as negras e falarem mal do cabelo crespo delas e dos rasgos africanos delas, vocês as abandonam com os vossos filhos maioritariamente indesejados, enquanto quando têm a oportunidade de ter a branca que for vocês lambem-lhes o cu e fazem-lhes todas as vontades, enquanto aproveitam para exibilas come se de troféus se tratassem e humilham-nas sexualmente para descarregarem a vossa frustração contra o sistema racista sendo misoginos. Até engolem o racismo das familias delas para ficarem com elas como se isso fosse um acto heroic. Vocês dão pena de tão miseráveis que são.



A mulher negra em todo mundo tem mais privilegios na sociedade que o homem negro. Tem mais economias, podem estudar, trabalhar....mas o negro maxo nao.

- A mulher negra trabalha e carrega todo mundo nas suas costas, homens que não trabalham e se vitimizam com o racismo quando mulher negra sofre tanto racism quanto homem negro, somado a isso, a mulher negra vive numa eterna solidão e abandono e cria como pode os filhos que o homem negro faz com ela mas que ele nunca assume, enquanto ela para os alimentar vai limpar a bunda dos filhos das brancas e das suas casas e nunca tem tempo para si mesmas. Quando mulheres negras conseguem fugir desse ciclo com o triplo de esforço e sendo alvo de racismo e misoginia de todos os lados vocês usam esse discurso vitimista. Metem nojo.

<<A mulher negra deve se preocupar com a sua feminilidade, conhecimento e panafricanismo. Nada mais que isso. Pois os machos africanos a mais de 6 séculos que nao têm poder de nada na sociedade quanto mais oprimir a mulher Negra.>>

-       A mulher negra deve é o caralho.
-       Feminilidade é ser subjugada a masculinidade, não precisamos de nos enfraquecer e atrofiar física e mentalmente para vos carregarmos as costas enquanto gastamos os nossos parcos recursos a imitarmos as brancas e seu consumismo.
-       Vocês não têm o poder dos brancos que estão acima de vocês, mas têm o poder de OPRIMIR MULHERES E MENINAS NEGRAS E AFRICANAS que estão abaixo de vocês.

<<Onde ha mulheres brancas a reivindicarem, isso é feminismo. Devido a brutalidade que sempre sofreram de seus machos. E so ver o padrao de sexo criado pelo maxo europeu...Voce Vai perceber que o macho europeu so obtem prazer humilhando ate a sua femia...isso é psicopatia.>>

- HOMEM NEGRO também só obtém prazer humilhando e explorando a mulher negra e africana. Serem vítimas do racism estrural não vos torna nem menos violentos nem menos opressores. O racismo não vos santifica. Esse maniqueísmo aqui não cola. São tão psicopatas quanto o homem branco.

<<A Eva foi culpabilizada pela expulsao do Eden, Pandora a primeira mulher tambem foi culpabilizada pelos males do mundo, o deus deles nao tem mae nem esposa e isso faz dele o Santo...como se a mulher foi algo sujo. Dalila foi culpada de trair sansao...ou seja, em tudo que o homem branco cria, atribui a culpa na mulher ao ponto de escolherem se envolver entre homens...so para negar a mulher.>>

- O homem negro faz a mesma coisa e usa a religião do homem branco como bode expiatório.

<<Agora onde ha mulheres negras, isso é panafricanismo. Nossas maes em Africa nao aprovam nenhum feminismo negro. >>

- As vossas mães foram silenciadas pelos vossos pais em nome da Guerra anti invasão branca, em nome da luta anti colonial, em nome da luta pela independência. E reiteradamente usaram qualquer reivindicação das mulheres para as acusarem de divisoras do movimento pelo bem comum. Passaram os anos vocês fazem exactamente o mesmo. O FEMINISMO AFRICANO EXISTE lidem com isso. O choro é livre. Vão morrer a paulada pois não vamos mais tolerar os vossos estupros, abusos e exploração.

<<A mulher negra Numa tentativa de melhor integracao abraca tudo que o racista cria...Ate a homossexualidade apoiam...sem Saber que a homossexualidade tem como alvo a destruicao do macho africano, para que as femeas negras tenham os europeus como unico exemplo de masculinidade. >>

- Homofobia é coisa de machista e misogino e racismo não tem nada a ver com isso.

<<Lembra te, o racismo é o sistema de sobrevivência genética do Homem Branco...eles precisam destruir o macho negro e usar a mulher Africana como incubadora para continuarem a viver neste planeta.>>
- Homem negro também usa a mulher negra como incubadora para manter a sua raça negra. Vocês são iguais. Usarem o racismo para desviar a atenção é hipocrisia, cinismo e desonestidade.

--======

<<Meus amigos vamos deixar uma coisa bem clara,
o lugar de nascimento, nao define a origem da pessoa.>>

-       Vocês homens negros só dizem isso quando vos convém. Para beneficiar de alguma coisa. Se assim não fosse aqueles negros de classe social alta não lutariam para ter cidadania europeia ou Americana e os negros da América não lutariam para manter uma cidadania que lhes dá benefícios de cidadão que ninguém em África tem direito a ter  graças a ditaduras de homens negros poderosos (lacaios do imperialismo), sobre outros homens negros.

<<Voce pode viajar para marte e ter la o teu filho, mas nem com isso voce deixa de ser terraquio e passa a ser marciano.
O que determina o lugar de nascimento é a nacionalidade e nao a tua origem como pessoa. Negros nascidos no Brasil a geracoes continuam a ser africanos por origem e nacionalizados como brasileiros. >>

- O lugar de nascimento, nao define a origem da pessoa. O que determina o lugar de nascimento é a nacionalidade e nao a tua origem como pessoa. Leiam várias vezes essa afirmação. Não tem sentido, é assim que se criam FALACIAS DO ESPANTALHO.

<<Nao existe afro-americanos, nem afro-brasileiros. >>

- Nisso concordamos. São negros brasileiros e negros estadounidenses e ambos são americanos pois Brasil também é América  só que do Sul. Afinal o que define a pessoa é a NACIONALIDADE.

<<Uma coisa é nacionalidade e outra é origem. Esse tipo de rotulos so cabe aos negros que so querem dancar e jogar footbol, mas nunca serem autodidatas. >>
- OUTRO NON SENSE sem explicação. Falácias do espantalho!

<<Voce nunca vai ver um branco de nacionalidade brasileira a se chamar euro-brasileiro, mas os negros se deixam ser chamados porque nao querem aprender sobre eles mesmos.>>

-       A isso se chama racismo. E isso não tem nada a ver com feminismo. Querem nos atirar areia para os olhos, mas nós mulheres negras de olhos abertos usamos uma mascara de proteção facial.

<<Negro nao é raca...mas sim o "homem original". Agora todas estas chamadas racas como caucasoide, mongol ou dravidianos sao os verdadeiros afro-descendentes, porque derivam do homem original que é o africano. >>

- Falácias do espantalho. Mitologia barata sem fundamento numa tentativa reles de buscarem afirmação que sobreponha o sistema supremacista racista branco. Vocês fazem rir.

<<Nao existe raca branca, os chamados brancos sao na verdade albinos caucasianos, devido a forma craniana e a carencia de melanina. >>

-       Negro não é raça, não existe raça branca…NON SENSE ATRAS DE NON SENSE e ainda aproveita faz tokkenização do albinismo. Ao menos demonstram que são homo sapiens pelo nível de criatividade. Parabéns.

<<Muitos pensam que so existe um tipo de albino, na qual nos em Angola a grosso modo chamamos de quilombo. Mas saiba que existe diferentes tipos de albinismo e brancos sao albinos tambem.>>

- Deixa de usar os albinos para fabricar mentiras. Que nojo! Só acredita nessas palhaçadas de segunda, pessoas preguiçosas que só usam a internet para pornografia e maledicência. O que estás a fazer é tokkenizar albinos para marcar pontos numa baliza imaginária. Deixa as drogas rapaz!

<<Nao existe branco africano. Mia Couto nao é africano. O simples facto de nascer em Africa nao faz de ti Africano. >>

-       Como assim?? Mas você escreveu mais acima que o que define a pessoa é a nacionalidade!! Quando eu falo que vocês só têm cocó na cabeça ainda duvidam.

<<Africa é o nome do nosso continente e de nossa origem negroide...e nao a nacionalidade de qualquer pessoa que vem ca parir o seu filho.>>

-       Diz aos teus manos para devolverem a cidadania de cada país Europeu ou Americano que eles tenham.

<<Nao existe nacionalidade africana...>>

-       Claro que não. Africa tem 54 países de diferenciados pelas suas línguas, hábitos e costumes. Quem trata Africa como um país uniforme são esses panafricanistas Americanos que romantizam Africa e voces homens negros africanos xenófilos aplaudem. Vão lá para América e já verão como os negros Americanos vos irão tratar. Idiotas!

<<Lembra-se, africano nao é nacionalidade, porque a Afrika nao é um pais, mas um continente de multiplas multiplicidades e etnias e uma so cultura. Africano é um conjunto de caracteristicas fenotipicas e genoticas. Mia Couto é um cidadao branco (albino), de nacionalidade Mozambicana mas que nao é africano por origem.>>

-       Se Africa não é nação e a origem da pessoa é definida pela nacionalidade (segundo vocês) façam o favor de deixar Mia Couto em paz que é um homem elucidado e consciente.
-       Parem de tokkenizar albinos e de dizer mentiras sobre as raças

<<Agora, o simples facto de voce ter o pai ou a mae branca (...) e o pai africano, nao faz de ti afro-europeu. Mas africano devido ao nosso genotipo africano, que é predominante sobre todas as chamadas racas. >>

- NON SENSE SEM FIM. Querem rejeitar a supremacia branca tentando inventar uma fantasiosa supremacia negra. O planeta está em colapso, esse vosso ego a querer massagem não ajuda. Matem essa vossa ignorância e parem de perseguir feministas.

<<Lembra-se, nao existe raca europeia nem continente europeu. O que nos chama-mos de europa é nada mais do que uma invencao geo-politica, financeira e social e militar dos albinos caucasianos, tudo porque aquilo que todos chamam de Europa na verdade é Asia...A europa é a continuacao territorial da Asia. Os albinos caucasianos, comumentemente chamados de brancos, sao asiaticos porque provem dos dravidianos.>>

-       Desde o inicio do texto evitei discutir non sense. A minha recomendação aos leitores é: LEIAM MUITO, leituras lógicas, coerentes, informativas e com fonts não baseadas em fantasias e criatividade da menta aberta de fumadores abusivos de marijuana.

#AFRIFEM
#MOVIMENTOFEMINISTAAFRICANO
#MOVIMENTOFEMINISTAANGOLANO
#MFA
#MORTEAOPATRIARCADO
#ABOLIÇÃODOGENERO

  

Nuvem

Angola na Imprensa (1772) música (399) jornais (324) Ágora (247) livros (228) F.Pereira (221) Historia de Angola (218) pintura (208) opinião (206) cultura (186) Luanda (116) desporto (113) fotografia (104) Território (74) literatura (73) africa (64) vídeo (64) culinária (60) Saúde (55) escritores (55) Angola (54) arte (54) reconstrução (54) Fauna (52) arquitectura (52) humor (51) personalidades (50) reciclagem (50) partidos políticos (49) turismo (49) Namibe (48) CAN2010 (47) futebol (46) energia (44) Luis Sá Silva (43) publicidade (43) Filatelia (42) Gastronomia Angola (42) Poesia (42) Cinema (41) economia (41) automobilismo (40) fotos (40) LAC (39) gastronomia angolana (37) sociologia (37) musica (36) Luanda Antena Comercial (35) POLITICA (34) valdemaribeiro (34) eleições (33) ensaios (32) Construção (31) visitando blogues (29) 95.5 (28) Elinga Teatro (28) informação (27) Girabola (26) eleições 2012 (26) Podcast (25) automóveis (24) blogs (24) dança (24) teatro (24) Companhia de Dança Contemporânea de Angola (23) Lubango (23) política (23) basquetebol (22) bonecas (22) futebol angolano (22) rádio (22) cronicas . ensaios (21) imprensa (21) sabores (21) Angola em fotos (20) CDC (20) Natal (20) Ondjaki (20) educação (19) notícias (19) frutas (18) Huambo (17) artesanato (17) cronicas (17) eventos (17) GP3 (16) debate político (16) festas (16) Benguela (15) Cozinha Angolana (15) Lobito (15) Parques Naturais (15) Presidente José Eduardo dos Santos (15) Sala de Música (15) curiosidades (15) receitas (15) Agostinho Neto (14) CASA-CE (14) entrevista (14) fotos antigas (14) Bloco Democrático (13) Companhaia de Dança (13) EDUCAÇAO (13) Independência (13) Rui Ramos (13) animais de Angola (13) 4 de Fevereiro (12) Angola descrita (12) Angola-Brasil (12) F.Quelhas (12) José Mena Abrantes (12) Solidariedade (12) comércio (12) memória (12) texto de leitor (12) viagens (12) áudio (12) Afrikya (11) Cabinda (11) Huila (11) José Rodrigues (11) Rádios Angolanas (11) agenda cultural (11) ambiente (11) ciência (11) escravatura (11) flora (11) kuduro (11) pessoas (11) Comentário (10) Jazz (10) Paulo Flores (10) Ruy Duarte de Carvalho (10) afrobasket (10) aniversário (10) escultura (10) estórias (10) futuro (10) geografia (10) malária (10) população (10) postais (10) povos (10) prémios (10) taag (10) unita (10) 27 de Maio (9) Mateus Gonçalves (9) Palancas Negras (9) cplp (9) exposição (9) paludismo (9) pobreza (9) CAN2008 (8) Café da Manhã (8) Carnaval (8) Huíla (8) Jorge António (8) Pepetela (8) SOCIOLOGIA POLÍTICA (8) Sérgio Conceição (8) baía de Luanda (8) comboio (8) feriados (8) gentes (8) património (8) selecção de Angola (8) transporte (8) viagens no tempo (8) Festas do Mar (7) João Melo (7) Luandino Vieira (7) Malange (7) Marcolino Moco (7) O País (7) Rui Mingas (7) SIDA (7) efemérides (7) ensino (7) falecimento (7) festival de teatro (7) heróis (7) percussão (7) Abel Chivukuvuku (6) Bom Dia - Bom dia (6) CAN2012 (6) Hóquei (6) Luisa Fançony (6) MPLA (6) ajuda (6) andebol (6) campanha eleitoral (6) chuva (6) colecção cartazes (6) filme (6) moda (6) sociedade (6) 4ª Conferência sobre Mulher e Desporto (5) Cartoon (5) Chá de Caxinde (5) Eleições em Notícia (5) FILDA (5) Luena (5) Mário Pinto de Andrade (5) Nelson Mandela (5) antiguidades (5) caminhos de ferro (5) contos (5) convite (5) crianças (5) cultos (5) desenho (5) dia de África (5) diversão (5) documentos (5) estradas (5) liberdade (5) lusofonia (5) o nosso Povo (5) petróleo (5) televisão (5) valdemar ribeiro (5) 25 de Abril (4) A Escola da Música (4) A Guerra (4) ADRA (4) Adams Kiluanji Smiths (4) Ana Clara Guerra Marques (4) André Mingas (4) Brasil (4) CFB (4) Capas de singles angolanos (4) Comemorações da Independência de Angola (4) Constituição (4) Diplomáticos (4) Duo Ouro Negro (4) Elias Dya Kimwezo (4) Expo 2010 (4) Fundação Sindika Dokolo (4) IIº Festival Internacional de Teatro e Artes (4) Jornal de Angola (4) N'gola Ritmos (4) Okutiuka (4) Ouvir Angola (4) Paulo Jorge (4) Pensar e Falar Angola (4) Raul do Rosário (4) Saurimo (4) Sónia Ferreira (4) Trincheira Firme (4) agricultura (4) arquitectura popular (4) colares (4) corrupção (4) desportos (4) ecologia (4) etnografia (4) hoquei em Patins (4) internet (4) media (4) medicina (4) moeda (4) tradição (4) urbanismo (4) África (4) Ana Paula Tavares (3) António Jacinto (3) Baía dos Tigres (3) Caminhos de Ferro de Moçâmedes (3) Catumbela (3) Cuito Cuanavale (3) Denudado (3) Dia Mundial da Dança (3) Dia da Mulher (3) Dia do Herói Nacional (3) Ernesto Lara Filho (3) Filipe Mukenga (3) Homenagem (3) INFRAESTRUTURAS (3) Interclube (3) Investimentos (3) Jogos Olímpicos (3) Jorge Kalukembe (3) José Eduardo Agualusa (3) Justino Pinto de Andrade (3) Kudijimbe (3) Lino Damião (3) Manifesto (3) Manuel Victória Pereira (3) Mosquito (3) Mulheres de Angola (3) Mundial de Hóquei (3) Mário Tendinha (3) Patrício Batsîkama (3) Paulo Araujo (3) Pedroto (3) Prémio Maboque (3) Pérolas (3) Ricardo Teixeira (3) Rock Angolano (3) Teta Lando (3) Yuri da Cunha (3) adivinhas (3) autores (3) candomblé (3) cidadania (3) coleccionismo (3) comunicação (3) conselhos (3) curso (3) david oliveira (3) democracia (3) deputados (3) desastre (3) desenvolvimento (3) design textil (3) dia da Independência (3) e-mail (3) elinga (3) empreendorismo (3) empresa (3) engenharia (3) estatística (3) estudantes (3) exportação (3) formação (3) globalização (3) governo (3) história natural (3) ideias (3) imobiliário (3) indústria (3) jornalismo (3) kuanza-Sul (3) legislação (3) lingua portuguesa (3) linguas (3) livro (3) mel gambôa (3) negritude (3) poesia lusófona (3) polícia (3) rios (3) trabalho (3) ||| Trienal de Luanda (3) 11 de Novembro (2) 1º de Maio (2) 3º ano (2) A Matéria do Tempo (2) Agostinho André Mendes de Carvalho (2) Agualusa (2) Andulo (2) Angola no Afrobasket2013 (2) António Ole (2) Arlindo Barbeitos (2) Assembleia Nacional (2) BD (2) Beatriz Salucombo (2) Belita Palma (2) Bonga (2) Bonga Kwenda (2) CHAN (2) CUBE RECORDS (2) Café Negro (2) Cambambe (2) Campeonato do Mundo de Hóquei (2) Cangandala (2) Caála (2) Comissão Nacional Eleitoral (2) Correia Adão (2) Cuca (2) DTA (2) Divagações (2) Dog (2) Dog Murras (2) Don Sebas (2) Elinga Bar (2) Encontro (2) Estudos Angolanos (2) Estúdio de Actores (2) FAO (2) FBaião (2) FIC (2) FLEC (2) Festival Internacional de Jazz (2) Festival Internacional de Rock do Huambo (2) Festival de Cinema (2) Filipe Zau (2) Formula 3 (2) Fortaleza de Luanda (2) Fotografias (2) Fotografias de Angola (2) Francisco Vidal (2) Gustavo Costa (2) Helena Justino (2) Helena Magalhães (2) Hospital Pediátrico David Bernardino (2) Isabel dos Santos (2) Januário Jano (2) João Arrmando (2) João Baptista Vieira Lopes (2) Kilamba (2) Kwanza Norte (2) Leba (2) Lev'Arte (2) Luís Damião (2) Lúcio Lara (2) Mampuya (2) Mangovo (2) Manifestações (2) Manuel Ruy Monteiro (2) Margarida Paredes (2) Mbanza Congo (2) Mia Couto (2) Micaela Reis (2) MinhaAngola (2) Monza (2) Mucuio (2) Museu de História Natural (2) Nara (2) Nelo Teixeira (2) Neves e Sousa (2) O Blog Realmente Aberto (2) Online (2) Palácio de Ferro (2) Papa Bento XVI (2) Paulo Jazz (2) Paulo de Carvalho (2) Pedras Negras (2) Prémio Nacional da Cultura (2) Recordações (2) René Pélissier (2) Roderick Nehone (2) Rosa Coutinho (2) Rádio Ecclesia (2) SIEXPO (2) Sabby (2) Salvador Correia (2) Samakuva (2) Sambizanga (2) Savimbi (2) Sonangol (2) Sumbe (2) TPA Internacional (2) Terra (2) Tio Liceu (2) Togo (2) Tonspi (2) Universidade (2) Uíge (2) Valdemar Bastos (2) Viriato da Cruz (2) Visita de Estado (2) Viteix (2) Yaru Cândido (2) alimentação (2) angolanidade (2) antropologia (2) artes plásticas (2) aviação (2) bebidas (2) biodiversidade (2) ciclismo (2) cidades (2) conhecimento (2) contestação (2) direitos e deveres (2) divulgação (2) educ'arte (2) escola (2) espectaculo (2) feira (2) fim de ano (2) fome (2) governação (2) herois (2) hino (2) instrumentos (2) kimalanga (2) kizomba (2) legislativas (2) leis (2) marginal (2) negócios (2) pensamentos (2) pesca (2) provérbio (2) racismo (2) religião (2) reportagem (2) resultados eleitorais (2) revistas (2) toponimia (2) transporte aéreo (2) trânsito (2) vias de comunicação (2) vistos (2) Álvaro Macieira (2) óbitos (2)  Zé Pestana Namibe Angola em fotos (1) "O Ocaso dos Pirilampos". (1) 04 de Abril (1) 1 de Maio (1) 15 de Março (1) 1º de Agosto (1) 2006 (1) 2008 (1) 2011 (1) 2012 (1) 2014 (1) 95 (1) A Poesia Angolana noa Caminho Doloroso da História (1) A Orfã do Rei (1) A Safra (1) ANGOLATELECOM (1) Acordos Luso-Angolanos (1) Acordos de Paz de Bicesse (1) Actores (1) Acácio Barradas (1) Adolfo Maria (1) Adriano B. de Vasconcelos (1) Adriano Botelho de Vasconcelos (1) Adriano Mixinge (1) Adriano Sebastião (1) Aeroporto Internacional de Luanda (1) Afrologia (1) Alda Lara (1) Alda do Espírito Santo (1) Alfabetização (1) Aline Frazão (1) Allende (1) Ana Dias Lourenço (1) Ana Paula dos Santos (1) Angola 74 (1) Angola Avante (1) Angola Rural (1) Angola e NBA (1) Angolares (1) Animação (1) António Kassoma (1) António Magina (1) António dos Santos (1) Anália de Victória Pereira (1) Apartheid (1) Apostolado (1) Artur Nunes (1) Assassinato (1) Associação 25 de Abril (1) Associação Kalu (1) Autódromo (1) Bahia (1) Baixa de Cassange (1) Banda (1) Banda Desenhada (1) Banda Maravilha (1) Before Crush (1) Benfica (1) Bienal (1) Bilhete de Identidade (1) Bimbe (1) Bié (1) Black Soul (1) Boas Fertas (1) Bruno M (1) COI (1) COSISA (1) CPJ (1) CRONICAS ENSAIOS (1) Cabo Ledo (1) Caleidoscópio (1) Calos Alberto Mac-Mahon de Vitoria Pereira (1) Cangola (1) Caotinha (1) Carlos Alberto Mac-Mahon de Vitoria Pereira (1) Carlos Ferreira (1) Carlos Ferreirinha (1) Carlos Morais (1) Carteira do Artista (1) Casa 70 (1) Casa do Gaiato (1) Casa do Gaiato de Benguela (1) Cavaqueira no Poste (1) Cesaire (1) Cesária Évora (1) Chia KMK (1) Chibia (1) Chiwale (1) Cinema Atlântico (1) Comité Olímpico (1) Companhia de Teatro Dadaísmo (1) Companhia de Teatro Gente (1) Congresso (1) Cooperação Luso Angolana (1) Corte-Real Pereira (1) Costa Andrade (1) Cuba (1) Cubal (1) Cunene (1) Cónego Manuel das Neves (1) DNIC (1) Dalila Cabrita (1) David Zé (1) Death Metal Angola (1) Demósthenes (1) Dharmasena Pathiraja (1) Dharmasena Pathirajad (1) Dia da Mulher Africana (1) Dia de Camões (1) Dia internacional da Criança (1) Direitos Humanos (1) Direitos de autor (1) Discurso do Presidente Agostinho Neto (1) Dondo (1) Drepanocitose (1) Duarte Ferreira (1) EXPO 2012 (1) Edgardo Xavier (1) Edite Soeiro (1) Eiffel (1) Embaixada de Angola em Portugal (1) Embaixador (1) Eng. Fernando Falcão (1) Espaço SIEXPO (1) Estórias de Angola (1) Etel Ferrão (1) Eugénio Costa Almeida (1) ExameAngola (1) Expo 2008 (1) FAA (1) FC Bravos do Maquis (1) FIL (1) FNLA (1) Fernando Baião (1) Fernando Laidley (1) Fernando Pacheco (1) Fernando Tavares Pimenta (1) Festival da Canção (1) Filhos da Pátria (1) Flávio Ferrão (1) Ford (1) Forum Angolanao (1) Força aérea (1) Fragata de Morais (1) Francisco Costa Andrade (1) Frases (1) Frei João Domingos (1) Frutos de Angola (1) Fundo de Solidariedade Lwini (1) Fátima Roque (1) Gabela (1) Gana (1) Gari Sinedima (1) Gastronomia Angolana (1) General Pakas (1) Graciano António Manuel Kalukango (1) Granito (1) Grupo Lareira (1) Grupo Pitabel (1) Grupo de Reflexão da Sociedade Civil de Angola (1) Guiné-Bissau (1) Gustave (1) Gustavo da Conceição (1) Gás (1) Helder Mendes (1) Henrique Artes (1) Herberto Helder (1) Hinos partidários (1) Holden Roberto (1) INESAAODH (1) INOVAR (1) Icolo e Bengo (1) Imbondeiro (1) Inocência Mata (1) Inscrições (1) Iraldo (1) Irina Vasconcelos (1) Isaura Maria da Conceição Epanda (1) Ismael Mateus (1) J.M.Coetzee (1) Jacinto Lemos (1) Jandira Sassingui (1) Jeremy Xido (1) Jerónimo Belo (1) Joaquim Furtado (1) Jodi Burch (1) Jomo Fortunato (1) Jonh Bela (1) Jordi Galcerán (1) Jorge De Palma (1) José Chaves (1) José Luis Mendonça (1) José Marcos Mavungo (1) José Maria Chaves (1) José Redinha (1) João Kassinda (1) João Soares (1) Kalandula (1) Kalumba (1) Kambumbe Lodje (1) Kandjila (1) Kaparandanda (1) Kate Hama (1) Kifangondo (1) Kiluanji Kia Henda (1) Kinaxixe (1) Kito Kimbenze (1) KuBass (1) Kuanza (1) Kuduro International Conference (1) Kwanza (1) LODGE (1) Lambarena (1) Levy César Marcelino (1) Lilly Tchiumba (1) Lito Vidigal (1) Loanda (1) Luanary (1) Luanda Maputo (1) Luciano António (1) Lucira (1) Lugares (1) Luis Fernando (1) Luis Rosa Lopes (1) Lulendo (1) Lunda (1) Luz Veio (1) Luís Fernando (1) M'pty Head (1) MOVICEL (1) Maianga (1) Mano a Mano Produções (1) Manucho (1) Manuel Agostinho Salvador Ribeiro (1) Manuel Ennes Ferreira (1) Manuel Rui (1) Mara Dalva (1) Mara Manuela Cristina Ananaz (1) Maria Esperança Pascoal (1) Maria Mambo Café (1) Maria Rita (1) Massalo (1) Matála (1) Mayamba Editora (1) Memória de uma alcoólica (1) Menha Ma Zumbi (1) Menongue (1) Mestre Humberto (1) Miguel Anacoreta Correia (1) Miguel Barros (1) Miguel Zenón Quartet (1) Ministros de Angola (1) Miss Angola 2007 (1) Miss Mundo (1) Miss World (1) Monami (1) Morro Maluco (1) Morro da Luz (1) Morro da Maianga (1) Movimento Estudantil Angolano (1) Movimento X (1) Moçambique (1) Muanamosi Matumona (1) Mucubais (1) Mulher Desporto África 2008 (1) Murras (1) Museu Nacional de História Natural (1) Musongué da Tradição (1) Mutamba (1) Mário Guerra (1) MárioPalma (1) NASCAR (1) NEBLINA (1) Nastio (1) Ngolamirrors (1) Nito Alves (1) Njinga Rainha de Angola (1) Nossangola (1) Nzila (1) Nástio (1) Nástio Mosquito (1) O Moringue (1) O Método de Groholm (1) O Preço do Fato (1) O Rock Lalimwe Eteke Ifa (1) O Submarino Angolano (1) ONG (1) ONU (1) Orfanato (1) Orlando Sérgio (1) Ortopedia (1) Os Lambas (1) Ottoniela Bezerra (1) PENSAMENTO (1) PTNETangola (1) Pangueia Editora (1) Parlamento (1) Pauko Flores . música (1) Paulo Araújo (1) Paulo Capela (1) Paulo Kussy (1) Pedrito do Bié (1) Pedro Pinote (1) Petro (1) Photosynth (1) Processo dos 50 (1) Projecto Perpetuar (1) Prémio José Saramago (1) Quarta-feira (1) Quimbele (1) Quitexe (1) RNA (1) Rafael Marques (1) Raid Cacimbo (1) Raid TT (1) Rainha Ginga (1) Rainha Nzinga (1) Raul David (1) Reacreativo do Libolo (1) Recreativo da Caála (1) Reginaldo Silva (1) Ricardo Abreu (1) Rio Kuanza (1) Ritmo e Cultura (1) Robert Hudson (1) Roberto Ivens (1) Rocha Pinto (1) Romi Anauel (1) Ruca Van-Dúnem (1) Rui Almeida (1) Rui Costa (1) Rui Monteiro (1) Rui Tavares (1) Ryszard Kapuscinski (1) Rádio Luanda (1) S.Tomé e Príncipe (1) SISTEC (1) Samba (1) Santocas (1) Sexta-feira (1) Silerstone (1) Silverstone (1) Simão Toco (1) Sita Valles (1) Slide de fotografias (1) Soyo (1) Suzana Inglês (1) Sérgio Guerra (1) Sérgio Mabombo (1) TEDxLuanda (1) Taekwondo (1) Tantã Cultural (1) Tchivinguiro (1) Tchokwé (1) Terra dos Sonhos (1) Toke (1) Tomaz Jorge (1) Toty Semedo (1) Traumatologia (1) Tribunal de Contas (1) Trienal de Luanda (1) Tv (1) TvZimbo (1) Té Macedo (1) Tômbwa (1) UEA (1) UNITEL (1) União de Escritores Angolanos (1) Urbano de Castro (1) VIH/SIDA (1) VUM-VUM KAMUSASADI (1) Victor Gama (1) Vítor Burity da Silva (1) Waldemar Bastos (1) Welwitschia Mirabilis (1) Wilker Flores (1) Xadrez (1) Xá de Caxinde (1) Yonamine Miguel (1) You Failed... Now We Rule!!! A Nossa Vez!!! (1) Zeca Moreno (1) Zé Pestana Namibe Angola em fotos (1) abacate (1) acidentes (1) acordo ortográfico (1) advogados (1) agradecimento (1) alambamento (1) alfandega (1) angolano lá fora (1) antologia poetica (1) anuncio (1) anúncio (1) arbitrariedade (1) baleia (1) bancos (1) bandeira (1) barack obama (1) baía (1) biblioteca (1) bicicleta (1) borboletas (1) brancos (1) cacusso (1) capacitação (1) carta aberta (1) casamento (1) cine art angola (1) clima (1) cogumelos (1) colóquios (1) combustível (1) comunidades (1) concertos musicais (1) concurso fotografia (1) contador (1) contrafacção (1) convívio (1) cooperação desportiva (1) crónicas (1) cursos (1) desalojados (1) desarmamento (1) descolonização (1) desgraça (1) design grafico (1) desporto paralímpico (1) dia do pai (1) dimantes (1) dinheiro (1) doclisboa 2012 (1) doença do sono (1) dvd (1) e--books (1) emprego (1) encontro mulheres angolana (1) escr (1) estorieta (1) explicação (1) expressão dramática (1) f (1) facebook (1) famílias (1) feira do Livro (1) feminismo (1) feministas (1) ficção (1) fiscalidade (1) floresta (1) fm (1) fábulas (1) férias (1) gora (1) graffiti (1) hobby (1) humor angolano (1) idolos (1) igreja (1) iniciativa (1) intercâmbio (1) investigação (1) jindungo (1) jo (1) justiça (1) juventude (1) kalulu (1) kamussekele (1) kassekele (1) kimbos (1) kit surf em Angola (1) lendas (1) luto (1) línguas nacionais (1) militares (1) minas (1) minas de prata (1) miss Universo (1) modernização (1) mosca tsé-tsé (1) motas (1) muamba (1) música. fotos antigas (1) narrativa (1) natação (1) nação negra (1) negros (1) néo-liberalismo (1) o mundo (1) off-road (1) parabens (1) passados. estórias (1) passatempo (1) pecuária (1) pensar (1) perdidos e achados (1) piri-piri (1) poe (1) porto de Luanda (1) povo (1) primeira-dama de Angola (1) prisões (1) prédio Cuca (1) qualificação das pessoas (1) ra (1) raça (1) recuperação (1) refugiados (1) registo eleitoral (1) renovação (1) repatriamento (1) restaurantes (1) san (1) segurança (1) sem etiqueta (1) seminário (1) soberania (1) surf em Angola (1) taxis (1) telecomunicações (1) todo o terreno (1) tragedia (1) tripanossomíase (1) turtulhos (1) twitter (1) técnica (1) um livro. solidariedade (1) valdemar F. Ribeiro (1) vfr (1) vigarices (1) violência (1) voz (1) youTube (1) «ANGOLA: A TERCEIRA ALTERNATIVA» (1) Álvaro Ascenso (1) Álvaro Mateus (1) Óscar Ribas (1) ética (1) ídolos (1)